Apesar de chuvas, reservatórios do Paranapanema ainda preocupam

Na tarde de hoje (08), foi realizada a 1ª Sala de Crise do Paranapanema, por videoconferência. O Superintendente de Operação e Eventos Críticos da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), Joaquim Gondim, destacou que das Sala de Crise instituídas, a do Paranapanema foi a que teve mais atividades 2020, com 25 reuniões, e é a que gera maior preocupação atualmente.

Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), a pluviosidade nos últimos 30 dias está dentro da média histórica. Contudo, considerando um período maior, as chuvas estão bem abaixo da média. O mês de dezembro de 2020 fechou dentro da média histórica, e foi o mês mais chuvoso do ano. Em janeiro, até o dia 6, choveu 46 mm. Para os próximos dias, segundo o Cemaden, as chuvas deverão estar dentro da média histórica, chovendo mais ao norte da região – podendo chegar a 50 mm de água.

A representante do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Camila Azevedo, apresentou as condições hidrológicas na Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema, as condições de armazenamento das Bacias que formam a Bacia Hidrográfica do Rio Paraná, o balanço da geração para atendimento da carga. O ONS também apresentou a capacidade total de armazenamento dos reservatórios do Paranapanema, que está, separadamente: Jurumirim 17%, Chavantes 10%, Capivara 13% e Mauá 27%.

A previsão de evolução para os reservatórios, em relação ao nível dos reservatórios até o dia 31 de janeiro deste ano, são: Jurumirim: 25%,; Chavantes: 12%; Capivara: 12%; e Mauá: 30%;seguindo as diretrizes de operações apresentadas pelo ONS.

A representante do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema (CBH Paranapanema), Suraya Modaelli, ressaltou que o Comitê já está se mobilizando para iniciar o diálogo acerca da regulação dos reservatórios da Bacia.

A próxima reunião da Sala de Crise está agendada para o dia 5 de fevereiro, às 15h, por videoconferência.

Sala de Crise

Para compartilhar informações e tomadas de decisões, a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) instituiu a Sala de Situação do Paranapanema, posteriormente intitulada Sala de Crise, composta pelos seguintes integrantes, além da própria ANA: Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), CTG Brasil, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), Votorantim Energia, Departamento de Água e Energia Elétrica e a Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente SIMA, pelo Estado de São Paulo, Instituto Água e Terra, pelo Estado do Paraná, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema e os seis Comitês Afluentes, instituídos nos Estados de São Paulo e Paraná.

Também é possível acompanhar a situação dos reservatórios na Bacia Hidrográfica, por meio do CBH Paranapanema:

paranapanema.org

facebook.com/cbhparanapanema

instagran.com/cbhparanapanema

yuotube.com/cbhparanapanema

issuu.com/cbhparananemacomunicacao

Fechar Menu