Seminário de Integração

O 3º Seminário de Integração foi realizado nos dias 27 e 28 de agosto, dividido em três atividades principais – 27 de agosto de amanhã: exposição de painéis; 27 de agosto a tarde: dinâmica de integração e 28 de agosto de manhã: oficina dos ODS.

Integração do Conhecimento:  PIRH Paranapanema: do Planejamento à Ação

A manhã do dia 27 foi dedicada para a apresentação de painéis que mostraram todas as atividades em andamento dentro da Bacia, cujo Comitê é coordenador e acompanha a execução:

  1. O Projeto de levantamento dos reservatórios é inédito no país e objetiva desenvolver um balanço hídrico de ponta (mensura a disponibilidade nos reservatórios presentes na bacia). Ele atende as ações: GRH.E.1.1: Inventário de Reservação de Água; GRH.E.1.2: Estudos de Dimensionamento, Localização e Priorização de Implantação para as Reservações; e GRH.E.1.3: Definição de Incentivos Administrativos, Operacionais e Financeiros à Implantação de Reservatórios de Pequeno Porte. O projeto está sendo desenvolvido no Alto Paranapanema, devido à quantidade de reservatórios e a solicitação dos usuários de autorização para novas reservações, e foi apresentado pelo representante da Agência Nacional de Águas, Márcio Araujo.

 

  1. O projeto Rede Integrada de Águas Subterrâneas, visa o planejamento para a implementação da rede de monitoramento de aquíferos na Bacia do Rio Paranapanema. E atende a ação GRH.C.1.5 Implantação da Rede de Monitoramento Piezométrico Regional, do PIRH. O projeto foi apresentado pelo geólogo do Instituto Aguasparaná, Luiz Fornazzari Neto.

 

  1. O projeto Modelagem Hidrológica está sendo desenvolvido pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) que irá resultar em um estudo integrado de modelagem hidrodinâmica e de qualidade das águas superficiais, além de oferecer uma proposta de enquadramento para a Bacia. O painel contou com a apresentação dos responsáveis pelo estudo na UFPR e da representante da ANA, Diana Cavalcanti, que acompanha o trabalho. O projeto atende as ações: GRH.A.4.1 Contratar Estudo Técnico para Elaboração de Proposta de Enquadramento dos Rios Federais; STR.F.2.5 Modelagem Hidrológica da Bacia.

 

  1. Diana também falou sobre o projeto que irá caracterizar o perfil de uso da água e estimar a carga efluente potencialmente poluidora da indústria, considerando as reduções geradas pelas ações sustentáveis de racionalização do uso da água e tratamento ou reuso de efluentes, em atendimento às ações: STR.F.2.3 Caracterização da Carga Poluidora de Origem Industrial; STR.F.2.4 Caracterização da Carga Poluidora de Origem Difusa.

 

  1. O Programa Produtor de Água que objetiva revitalizar a bacia por meio do Pagamento por Serviços Ambientais está sendo desenvolvido, inicialmente, no Pontal do Paranapanema, em Presidente Prudente – SP, tendo em vista que o estado do Paraná já está adiantado nas articulações para desenvolvimento do Programa, inicialmente na Bacia do Tibagi. O arranjo institucional que está sendo feito, por meio do Comitê, é inédito e atende as ações: STR.A.2.1 Apoio Técnico-Financeiro para p Estabelecimento de Arranjos Institucionais Locais Necessários à Viabilização do PSA. O painel foi apresentado pelo coordenador do projeto na Bacia, Ewandro Moreira.

 

  1. Para atender as ações GRH.B.1.3 Apoio ao Desenvolvimento e Capacitação dos Comitês de Bacia; STR.B.3.2 Elaboração e Implementação de Programa de Capacitação; STR.F.1.1 Incentivar e Apoiar Projetos de Pesquisas Voltados à Melhoria da Eficiência no Manejoe Usos dos Recursos Hídricos Associados às Atividades Produtivas da UGRH Paranapanema, em parceria com a Universidade Estadual Paulista (Unesp), o Comitê esta instituindo o Centro de Ensino, Pesquisa e Extensão, em Ourinhos – SP. O Centro será o polo para capacitações do Comitê, e dará estrutura para a consolidação da Rede UniParanapanema. O representante da Unesp e Diretor do Campus de Ourinhos, Edson Piroli, apresentou o projeto.

 

  1. Sala de Situação do Paranapanema: O Comitê acompanha a crise nos reservatórios da Bacia, por meio das reuniões da Sala de Situação. Para contextualizar o cenário e mostrar o posicionamento e ações do Comitê acerca da crise hídrica, o geólogo do Departamento de Água e Energia de São Paulo (DAEE), Emílio Prandi, explanou dobre os dados atuais e os trabalhos de revitalização de bacia, garantindo que a segurança energética e hídrica também estejam atrealadas ao PIRH Paranapanema.

 

  1. Informe sobre o Plano Nacional de Recursos Hídricos: O Plano Nacional passará por adequações e para isso já houve uma reunião em Brasilia, em que o Comitê esteve representado, para traçar as estratégias de mobilização e participação na sua elaboração. O informe foi apresentado pelo representante da ANA, Gonzalo Fernandez.

 

  1. A última apresentação, do professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (URGS) Guilherme Marques, contou sobre o projeto de integração entre universidades internacionais. Os objetivos são melhorar a governança hídrica em bacias antropizadas; estabelecer as ligações entre os meios de subsistência dos usuários (por exemplo, renda, saúde) e serviços ecossistêmicos na planície de inundação da bacia do rio paraná, a jusante da barragem de porto primavera; compreender a resposta dos principais serviços ecossistêmicos à mudança no regime de vazão; identificar os regimes de vazão que melhorariam a resiliência dos principais serviços ecossistêmicos para uma mudança global; determinar as políticas operacionais dos reservatórios associadas aos regimes de vazão almejados; desenvolver e testar mecanismos inovadores de compartilhamento de custos para distribuir equitativamente o custo de oportunidade associado às vazões ambientais entre as empresas de energia na bacia do rio paraná; elaborar políticas de gestão de recursos hídricos e instrumentos institucionais com a participação dos tomadores de decisão. O Paranapanema participa do projeto por meio da participação do vice-presidente Paulo Fernando Soares e do geólogo Emílio Prandi.
Fechar Menu